04 março 2008

Retrospectiva GC #4: Eternal Darkness.


Atraso nem sempre é ruim...

Eternal Darkness estava planejado para o N64, e seria produzido por uma empresa canadense conhecida como "Silicon Knights". O jogo não conseguiu ficar pronto para o 64, e foi lançado em Junho de 2002, para o respectivo Console: Nintendo Game Cube.

Com uma história complexa e uma jogabilidade fantástica, o jogo logo caiu nas graças da crítica com notas incríveis.O site Game spot o citou como o maior dos exemplos aonde um jogo pode jogar o jogador. Eternal Darkness tem o poder de pregar peças suficientemente bem boladas, para que você olhe depois e fale: "Nossa como eu caí nessa"?

O quarto game da retrospectiva do nosso amado Cubo você confere a seguir:

Um trabalho de Mestre:

A maior das genialidades do jogo, está presente na barra de insanidade. Com essa barra atingindo o limite, coisas inusitadas podem acontecer. O Game ainda trabalha toda uma questão psicológica, desenvolvida em cada um de seus 12 personagens jogáveis.

A forma com que tudo acontece é divina. Alex Roivas, ao descobrir da morte de seu avô, visita a sua ex-moradia em Rhode island (E.U.A) para descobrir mais do quê aconteceu. Dotada de um temperamento muito forte, ela não se deixa barrar pelos policiais e entra na mansão.
Na mansão, ela encontra um livro, escrito de carne e sangue, chamado Eternal Darkness. Nesse livro, ela encontrará a história de cada um dos personagens que já escreveram nele através de todo o tempo. Conforme ela lê um capítulo, você jogará com um outro personagem, com virtudes (a questão psicológica conta muito aqui) e uma jogabilidade única.
O jogo funciona em um esquema parecido com Zelda, com mini dungeon's antes de cada Aventura maior, e bosses ao final de cada uma. Não se deixe levar, o Game é uma coisa sem igual.

Trilha sonora composta por gritos:

Devido a barra de insanidade, o seu personagem ficará horas a fio escutando gritos e mais gritos desesperados. A trilha sonora em si é boa, mas o jogo consegue chegar a um nível tão assustador que incomoda. O som do jogo na parte da mina (composto por gritos e efeitos sonoros de sangue) é genial!


Um design histórico:

Por passar várias vezes no mesmo lugar com o passar do tempo, o criador conseguiu fazer algo histórico. Com a premissa de quê a humanidade está caindo no Caos, você verá o mesmo lugar, trez vezes diferentes, sem mesmo reconhece-lo. A maneira que as coisas têm que fluir são muito boas; você lerá o livro, descobrirá coisas do passado e voltará para resolver no presente.

Há uma possibilidade de recordar as coisas que foram vistas no livro, sendo assim, uma vez que ela ouvir uma melodia de piano, ela poderá tocar no presente a mesma melodia para abrir alguma porta. Desse mesmo jeito, o livro trará anexos, ou mensagens codificadas para resolver futuros puzzles.

O mais horrível dos lugares...

Na minha opinião está nesse jogo. O ambiente no caso é um hospital que foi improvisado em uma igreja...mas todos que estavam olhando pelo cuidado dos pacientes fugiram por suas vidas, deixando os doentes para a morte.
A atmosfera é macabra, e você terá constantes Flash-backs vendo o quê aconteceu em cada quarto novo que você entra.

Flashbacks:

Uma ferramenta assustadora que é usada quando se fica muito tempo sem progredir, ou ao entrar em quartos aonde algo terrível aconteceu no passado. Uma ferramenta muito bem explorada que dará pistas do quê fazer (usado em forma de uma informação recebida em metroid, ou do personagem auxiliar falando, em Zelda).



Enfim, um game Cult:





Esse jogo tem uma imensa inspiração na obra de escritores famosos como Shakespeare ou H. P Lovecraf, ambos escritores especializados na mente humana, dentre outras coisas.

Um sistema de Magia único:

As magias nesse jogo não são meras formas de explodir todo mundo na tela. Elas tem funções e quebraram sua cabeça com os puzzles. As magias são formadas por Runes (runas) em sequência. Com aligments de 3, 5 e 7 pedras é capaz fazer magias de 4 elementos, que serão usadas em antagonia ao seu aligment rival.

Ulyaoth (azul) > Chattur'gha (vermelho)

Os puzzles desse jogo estão completamente interligados as magias, sendo utilizado em um aproveitamento de 100% delas. As Magicas são inspiradas em mágica Arcana, e podem tanto Sumonnar uma criatura, quanto controlar uma já viva. E isso possibilitou caminhos a desafios enormes de raciocínio lógico.

As localidades:

O jogo se passa em quatro localidades e em diferentes épocas, que vão desde antes de Cristo, até o ano 2000 (em uma alusão ao fim do mundo). São elas, a mansão da família Roivas, lugar jogável em três diferentes épocas para Alex, seu Avô e Bisavô.
As ruínas de "Forbidden city, na Pérsia; "Cambodian temple" no Cambodja; e "Oublie Cathedral" na França.

A Maior Sacada: Insanidade!



A maior das genialidades desse jogo brilhante é a barra de insanidade. Com ela, seu personagem dará surtos aterrorizantes, e convenhamos, alguns muito hilários. A seguir você conhecerá o meu preferido:

No meio do jogo, ao passar o primeiro boss, se você estiver com a sanidade baixa, você verá um aviso na tela, quê, em bom português corresponde a:
"Você terminou o jogo, compre o mais novo Eternal darkness: Sanity's Redemption


Além de muitos outros que você só verá, jogando.

Um dos jogos mais longos do Game Cube:

O jogo providencia mais de 50 horas de diversão. Mas não para por aí, você deve dar final 3 vezes para chegar ao verdadeiro encerramento do jogo. Isso soma mais de 150 horas! (claro, se você não aprender como passar as partes). O jogo ainda te possiblita fazer autopsias e conferir as fraquezas de seus oponentes (eles são criaturas cheias de detalhes). Tem um modo de cinema, aonde você pode olhar todos os filmes em CG do jogo, e um modo para ler as cartas (com a dublagem do personagem) mesmo depois de um bom tempo após ter pego.

A recepção:



O jogo foi muito bem recebido por todos os críticos. Recebendo 9,6 do IGN. Ele se tornou um dos mais bem votados no AVG score para o Game cube, Perdendo apenas para Metroid Prime. Ele aparece no Ranking do Gametrailers como um dos maiores games de Survival horror, e é um dos mais brilhantes projetos que uma Thrid poderia conceder a Nintendo.

A sequência:

É praticamente certa. O diretor da Silicon Knights já confirmou após o lançamento de too human. Não se sabe se o game vai ter o nome citado no anterior (sanity's Redemption), e nem se vai sair para o Wii, mas com certeza será um ótimo game.

A avaliação Gamer nintendo:


O jogo pode ser encontrado por R$ 99 em estado novo, e em torno de 70 a 90 em estado semi-novo.


Muito obrigado, e até a próxima!

Um comentário:

Léo disse...

Parece um jogo legal para se jogar de noit no escuro xD